Percepção do Intangível

O livro Percepção do Intangível traz em seu bojo os resultados de pesquisa realizada por Yussef Daibert Salomão de Campos* no mestrado do Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural (Universidade Federal de Pelotas), entre 2009 e 2010, apresentados, parcialmente, em eventos científicos, na forma de artigos ou comunicações em congressos, com apoio da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

Apresenta a relação entre a identidade social e patrimônio cultural, em especial o imaterial, tomando como objeto de estudo a legislação específica, com enfoque na Lei Robin Hood, de Minas Gerais.

O objetivo principal é apontar a identidade social como legitimadora da proteção do patrimônio cultural, em todas suas categorias, e demonstrar que não se deve montar uma
pirâmide hierárquica entre as categorias do patrimônio cultural; e mais: que a identidade nacional é formada por uma miríade de identidades locais, entendidas como conceitos construídos a partir de disputas entre tais identidades, que resultam em determinadas práticas políticas. Além disso, buscará mostrar como a lei age como instrumento construtor de comunidades imaginadas. Isso poderá ser observado a partir da análise da legislação pertinente, assim como na comparação entre a legislação
brasileira, em especial a mineira, e a argentina, e da Ciudad Autonoma de Buenos Aires.

Através dessa investigação, será visto que o patrimônio cultural é um campo de conflito entre identidades e que as práticas públicas nessa área são reflexos desse embate.

*Sobre o autor: Professor Adjunto-A da Faculdade de História e dos Programas de Pós-Graduação em História e em Projeto e Cidade (Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal de Goiás. Doutor em História (Universidade Federal de Juiz de Fora); Mestre em Memória Social e Patrimônio Cultural pela Universidade Federal de Pelotas-RS. Graduado em Direito pela Universidade Federal de Juiz de Fora; Especialista em Gestão do Patrimônio Cultural (Granbery e PERMEAR, Juiz de Fora-MG). Pesquisa o patrimônio cultural a partir da relação entre História, Memória e Identidade, além de suas nuances jurídicas. Durante o mestrado participou, como bolsista CAPES, do projeto Perspectivas Teóricas sobre el Patrimonio Material e Inmaterial en Sudamerica (Brasil y Argentina), do Programa de Cooperación Internacional Asociado para el Fortalecimiento de la Posgrado, Brasil / Argentina (CAFP/BA), que resultou da cooperação acadêmica entre os programas de pós-graduação em Economia Política de la Cultura, Estudios sobre Producciones Culturales y Patrimonio de la Facultad de Filosofia y Letras (ICA/FFyL), de la Universidad de Buenos Aires (UBA), e em Memória Social e Patrimônio Cultural da Universidade Federal de Pelotas/Brasil. É membro do ICOMOS-Brasil (International Council of Monuments and Sites).

Fonte original da notícia: Yussef Daibert Salomão de Campos, por mensagem