Capa / Notícias - Ver todas / Guaporé (RS) luta pela preservação de antiga Brizoleta

Guaporé (RS) luta pela preservação de antiga Brizoleta

Escola histórica é mantida no Distrito de Colombo.

Beleza do pequeno prédio, que também guarda muita história. (Caminhos de Guaporé)

A luta pela preservação histórica e cultural de prédios públicos têm ganhado as principais páginas dos jornais e sido destaque nos meios de comunicação. Apesar dos Governos Federal, Estadual e Municipal não estarem 100% empenhados no resgate das tradições do passado, a comunidade do Distrito de Colombo (Capitel São Roque), área rural de Guaporé, apresentou à deputada Estadual Juliana Brizola (PDT), um projeto para que as antigas Escolas Estaduais, as chamadas “Brizoletas”, sejam alvo de projeto de lei para que permaneçam, não só “vivas” na memória, mas também que possam ser motivo de estudos das futuras gerações.

O encontro da comunidade, representada pelo seu líder, o agricultor Sérgio Ortolan, que contou com o apoio do Escritório da Emater de Guaporé, através do engenheiro agrônomo Antônio César Perin, aconteceu nas dependências da Câmara Municipal de Vereadores e reuniu vereadores, servidores municipais, Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) e líderes partidários. Na oportunidade, Ortolan apresentou emocionado, a “Brizoleta” da comunidade e o Moinho Colonial.

Em depoimento, Sérgio Ortolan, contou a história do Capitel e do Moinho e salientou a importância de manter “viva” a história destes dois monumentos. “Tenho um apreço muito grande por tudo isso e em especial com relação à Escola, onde minha irmã foi a primeira professora e minha filha a última professora. Verificamos diariamente que inúmeras pessoas visitam os dois patrimônios, o que demonstra o apreço pelo trabalho preservacionista”, disse Ortolan.

Para o representante da Emater, Perin, o evento teve caráter social e cultural. “Com essa valorização, estaremos enaltecendo o potencial turístico existente no meio rural de Guaporé. Seja por suas belezas naturais, por sua memória histórica arquitetônica e pela memória histórica oral de seu povo”, afirmou o engenheiro agrônomo.

Após as manifestações dos guaporenses, a deputada Juliana Brizola, salientou que foi um momento histórico de recordações, de valorização patrimonial, e principalmente da memória histórica oral contada pelos moradores da comunidade. Colocou-se à disposição de todos na parceria desse trabalho. “É um momento muito especial, muito emocionante quando a gente conhece pessoas que há 40 anos tiveram a oportunidade de ter uma ‘Brizoleta’ construída na sua região e a escola até hoje continua ali, marcando território e mostrando o quanto é importante uma educação de qualidade. Fico emocionada, porque sei o que o projeto das ‘Escolinhas do Brizola’ representou para o meu avó Leonel Brizola em sua trajetória política. A preservação é de extrema importância. Meu avô já dizia: um povo que não conhece sua história e não preserva seu passado têm muita dificuldade de escolher o seu futuro”, salientou Juliana.  Por Michele Lunardi – Redação Rádio Aurora

Fonte: Rede Sul de Rádio

Print Friendly

sem comentários

  1. Muito interessante esta iniciativa, seria importante se a Deputada levasse adiante a ideia, Com certeza muitas cidades ainda preservam suas Brizoletas, aqui em Picada Café temos duas, uma num espaço escolar ainda em funcionamento e outra que é mantida por uma comunidade local.

  2. A título de memória cultural sim, fora isso ….