Projeto Inventários Afetivos

O Projeto Inventários Afetivos é um instrumento proposto pela OSCIP Defender – Defesa Civil do Patrimônio Histórico para promover a preservação do patrimônio cultural.

É uma forma de instrumentar a sociedade civil em defesa do patrimônio: uma demonstração de afeto, carinho e reconhecimento com sua própria história.

Sobre o Projeto

Objetivo: servir de apoio (instrumento) para a sociedade civil interessada em promover a proteção do patrimônio cultural. O projeto consiste na disponibilização de fichas modelo e instruções para o levantamento de todos os bens de interesse para preservação no espaço urbano ou rural; buscando um levantamento completo, realizado por grupos formais ou informais constituídos para este fim.

O objetivo do projeto Inventários Afetivos não é substituir, inutilizar ou tomar o lugar dos inventários de patrimônio cultural procedidos por equipes técnicas, sejam estes já realizados ou não nas áreas abrangidas pelo projeto. Pelo contrário, os Inventários Afetivos podem ser um excelente subsídio para a realização ou revisão destes inventários. Além de apontar os valores reconhecidos pela própria sociedade, que consistem em um dos principais parâmetros na escala de valoração de um bem histórico, eles podem eventualmente apontar caminhos para novas fontes documentais ou orais que poderão ser empregadas e interpretadas devidamente pelos profissionais das áreas afins.

O material resultante dos Inventários Afetivos será disponibilizado pela Defender – Defesa Civil do Patrimônio Histórico no site da entidade ou em outro site por ela administrado, por tempo indeterminado, difundindo informações dos bens históricos e a atuação de grupos envolvidos na defesa do patrimônio cultural.

Como aderir

O projeto “Inventários Afetivos” é uma realização da OSCIP DEFENDER – Defesa Civil do Patrimônio Histórico, como um instrumento de livre uso para os cidadãos interessados em todo o território nacional.

A adesão poderá ser efetuada de forma individual ou preferencialmente em grupo. Associações, turmas de escola, comunidades em redes sociais e qualquer outro tipo de grupos já constituídos poderão aderir. Poderão, ainda, ser formados grupos formais ou informais especificamente para este fim. A organização para aplicação do projeto é livre e de responsabilidade de cada grupo. A intenção do projeto não é nivelar e equalizar todas as ações civis em diferentes locais no Brasil, mas sim ser um instrumento suporte para a realidade diferente de cada grupo e local, potencializando suas atividades.

Para aderir oficialmente ao projeto, o grupo interessado deverá entrar em contato através do e-mail inventariosafetivos@defender.org.br

Como realizar

A realização inicia com a organização de um grupo para aplicação do projeto e a adesão conforme indicado anteriormente. O grupo decidirá o recorte para aplicação dos Inventários Afetivos. O recorte pode ser territorial (rua, bairro, município, região) ou temático, sendo de livre escolha dos interessados de acordo com as intenções. A supervisão de um especialista (arquiteto, historiador, etc.) para revisão das fichas é opcional e de inteira responsabilidade dos interessados.

A ficha-modelo para Bens Edificados pode ser encontrada em três arquivos: a ficha em branco é a principal, e que deve ser utilizada para preenchimento; a ficha com instruções, para consulta em caso de dúvidas, e a ficha preenchida, que pode ser usada como exemplo. Outras fichas que eventualmente se tornarem necessárias serão disponibilizadas da mesma forma no mesmo link.

Todo o processo de formação do grupo, reuniões, pesquisas e finalização do Inventário poderão ser informados a OSCIP Defender na forma de notícias/releases.  A Defender divulgará estas notícias no site da entidade, em outro site sob sua administração ou em quaisquer outros meios.

Após a finalização do trabalho, o Inventário Afetivo poderá ser enviado integralmente para a publicação no site da Defender, através do inventariosafetivos@defender.org.br

Recomenda-se cuidado com a formatação dos dados e tabulação das fichas, pois serão publicadas conforme o enviado. Também é essencial sempre assiná-las e dar o devido crédito de autoria ou fonte a toda e qualquer informação ou imagem utilizada. Para isto, recomenda-se que o grupo organize-se no sentido de revisar o inventário em conjunto.

Todo o processo de realização do Inventário Afetivo após a adesão acontecerá de acordo com a organização de cada grupo local em relação a prazos, finalização e etc.; quando não for tutelado por delegado regional ou representante da oscip Defender. Recomenda-se que o grupo organize-se de forma a dividir responsabilidades e realizar encontros pessoais ou virtuais, consolidando o material final de todas as fichas destinadas para publicação no site da Defender. Recomenda-se também a decisão conjunta de todo o processo de aplicação do projeto e de suas finalidades.

Resultados esperados

O inventário afetivo é uma ferramenta dinâmica, que pode adaptar-se aos diferentes fins que estejam acordo com a realidade de cada local e com as pretensões de cada grupo que o aplique. Entre os procedimentos sugeridos, estão:

– a consolidação de todas as fichas devidamente assinadas pelos respectivos autores em um material único – o “Inventário Afetivo” da cidade, bairro, local, etc. – a ser protocolado, acompanhado de um pedido de providências a todos os órgãos que se julgar competentes para a tarefa de tutelar o bem cultural, caso esta seja a pretensão do grupo: na Prefeitura Municipal e em todas as secretarias e departamentos que se relacionem com o tema (planejamento urbano, cultura, etc.); no órgão estadual de proteção ao patrimônio cultural (quando houver); na Superintendência do IPHAN da região em questão.

– a consolidação de todas as fichas devidamente assinadas pelos respectivos autores em um material único – o “Inventário Afetivo” da cidade, bairro, local, etc. – a ser protocolado junto a Promotoria do Ministério Público Estadual responsável pela região em questão, acompanhado de pedido de providências conforme demandas do grupo de cada local;

– o uso das fichas individuais realizadas para cada bem como alimentadoras de pedidos de tombamento, de inclusão no inventário, de providências junto ao órgão que o grupo local julgar competente para cada situação (conselhos, comissões, secretarias, Prefeito Municipal, Promotoria do Ministério Público, etc.)

– acompanhado de abaixo-assinado com intenções, as fichas individuais ou um conjunto de fichas pode ser submetidas ao órgão que a comunidade local julgar competente para a tutela do acervo – municipal, estadual ou federal; com cópia ao Ministério Público Estadual;

– a consolidação de todo o material – o “Inventário Afetivo” da cidade, bairro, local, etc. – de forma impressa, encadernada, poderá ser doado a bibliotecas, instituições de ensino e pesquisa; acervos públicos e etc., de forma a registrar este momento na trajetória da defesa do patrimônio cultural e deixando subsídios para outras iniciativas.

– todo o material enviado será publicado pela oscip Defender em seu site ou site sob sua administração, por tempo indeterminado, de forma a propiciar a difusão das informações levantadas, devidamente identificadas pelos autores.

– todos os outros encaminhamentos que o grupo interessado julgar interessantes para suas finalidades.

Arquivos para downloads

Download de ficha para preenchimento

Download de ficha com informações para o preenchimento

Download de exemplo de ficha preenchida

Todas as fichas deverão ser encaminhadas para inventariosafetivos@defender.org.br, para após serem disponibilizadas, através de um banco de dados, nesta página em formato PDF.