Espírito Santo – Capela de Santa Luzia é aberta a visitação em Vitória

A Capela de Santa Luzia, em Vitória, será aberta para visitação a partir de segunda-feira (13). Segundo a prefeitura, o monumento, que é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), também vai passar a integrar o Projeto Visitar, um roteiro turístico do Centro Histórico da capital do Espírito Santo.

A capela é a edificação mais antiga do município e fica na Cidade Alta. O templo foi construído em pedra e cal de ostra e coberta com telhas de barro.

Ainda de acordo com a administração municipal, nos últimos anos foram realizados levantamentos de dados e pesquisas sobre o monumento e a comunidade se envolveu no processo de recuperação.

A prefeitura diz que seis monumentos estão abertos à visitação de terça a domingo, das 9h às 17h (inclusive nos feriados) e têm monitores preparados para atender o público. São eles: a Catedral Metropolitana, as igrejas de Nossa Senhora do Carmo e Nossa Senhora do Rosário, o Convento São Francisco, a Igreja de São Gonçalo e o Theatro Carlos Gomes.

Fonte original da notícia




Arroio Grande/RS – Novo monumento na cidade

Uma locomotiva a vapor fabricada na Filadélfia, Estados Unidos, foi assentada sábado, na entrada de Arroio Grande. A cidade, localizada na Zona Sul do Estado, a 339 quilômetros de Porto Alegre, é a terra natal de Irineu Evangelista de Souza, o Barão de Mauá, pioneiro do transporte ferroviário no Brasil. Um aparato especial foi montado para transportar a máquina de Bento Gonçalves até Arroio Grande.

A locomotiva foi doada ao município pelo Dnit. “Resgatar a história e dar uma dimensão simbólica da importância do Barão de Mauá para o Brasil, além de tornar o local um cartão-postal da cidade, é a nossa intenção”, explica o secretário municipal de Cultura, Ricardo Freitas.

Fonte original da notícia




São Miguel dos Campos/AL – Estado tomba como patrimônio histórico o Palacete da Baronesa em São Miguel dos Campos

Iniciativa visa proteger história cultural da cidade e de Alagoas.

Em decreto publicado na edição do Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (21), o governador em exercício, José Wanderley Neto, homologou a resolução do Conselho Estadual de Cultura, que cuida da proposta de tombamento do antigo Palacete da Baronesa, atual Casa de Cultura do município de São Miguel dos Campos.

Com o tombamento proposto, o governo do Estado oficializa a proteção do monumento, visando aumentar as chances de alavancar recursos para sua conversação e restauração.

O processo foi iniciado em junho de 2010, quando o Departamento de Cultura de São Miguel dos Campos, por meio de seu diretor, André Vieira dos Santos, solicitou o tombamento estadual da edificação, haja vista sua importância histórica como uma significativa representante da arquitetura civil do município.

Além disso, funcionando atualmente como museu, o monumento apresenta valioso acervo artístico representado por mobiliário e objetos de época, pinturas sobre tela, documentos e fotografias, entre outros bens valiosos.

O acervo será expressamente destinado a atividades que não prejudiquem nem destruam a integridade cultural ali contida, observando-se o disposto na resolução CEC nº 06, do dia 19 de agosto de 2010, estabelecida pelo Conselho Estadual de Cultura.

O órgão também promoverá a inscrição da edificação no Livro de Tombo de Edifícios e Monumentos. Com esse registro, a equipe técnica da Secult poderá orientar em relação às formas mais adequadas de intervenção, evitando assim, as descaracterizações.

Segundo André Vieira, o Palacete da Baronesa é a grande identidade cultural do município de São Miguel dos Campos. “A população tem um carinho muito especial pelo monumento, visto por todos como uma grande referência”, diz o diretor do Departamento de Cultura da cidade.

Vieira ressalta ainda que a Casa de Cultura da cidade será reaberta no mês de novembro, após o término da restauração que está sendo feita para conservar e melhorar alguns espaços e todo o acervo histórico.

O monumento – O antigo Palacete dos Barões de São Miguel foi originalmente construído para servir como residência da família do Barão Epaminondas da Rocha Vieira e sua esposa Antônia Leopoldina da Rocha Vieira, ambos descendentes de personagens importantes no contexto histórico alagoano, o Visconde de Sinimbu e Ana Lins.

Desde o ano de 1984, é utilizado como Casa de Cultura, sendo montada através do empenho da própria comunidade, que desejava um espaço ligado às referências culturais do local. A participação da sociedade foi fundamental para a constituição do acervo artístico, onde muitas peças foram doadas.

Atualmente, a Casa de Cultura de São Miguel dos Campos congrega o Museu Histórico e Cultural Fernando Lopes e a Biblioteca Guiomar Alcides de Castro. No piso superior foi instalado o Auditório João de Medeiros Apratto, local onde são realizadas apresentações musicais e teatrais.

Fonte original da notícia




Erechim/RS – Dano ao patrimônio causa reação

O município de Erechim deverá intimar o causador do acidente que, na madrugada de sábado, destruiu um monumento em homenagem às mães, situado entre a praça Prefeito Jayme Lago e o Corpo de Bombeiros, para que ele pague os custos de restauração. O secretário de Administração, Gerson Berti, diz que será realizado um levantamento detalhado sobre os danos para quantificar os prejuízos, referindo-se aos valores de reparação. Após, com todos os elementos sobre estragos e custos apurados, o responsável pelo acidente que danificou a peça será intimado pelo município.

Conforme a secretária adjunta de Cultura, Esporte e Turismo de Erechim, Clarisse Maronesi, a pessoa será responsabilizada e terá que pagar o reparo dos danos provocados. “Nós tiramos fotos, recolhemos o monumento, mas ainda não sabemos quanto vai custar a restauração”, afirma Clarisse, ressaltando que a responsabilidade é do causador do estrago ao patrimônio público. Ela informa que dois restauradores já telefonaram para a secretaria se oferecendo para recuperar o monumento, mas diz que quem deverá providenciar tudo é o causador do acidente.

A imagem da mãe negra com um filho no colo foi construída com cimento em 1975. “Nós recolhemos a mãezinha aqui para o pavilhão onde está o material para o Natal”, afirma a secretária adjunta da Cultura. Ela estima que o tempo de recolocação da peça atingida na praça passará de 30 dias. O caso foi registrado na delegacia pelos próprios policiais que atenderam o acidente.

O excesso de velocidade em que estava o automóvel Audi por pouco não acaba em tragédia no centro de Erechim. O fato ocorreu às 3h30min de sábado, na pequena praça, um dos principais pontos de lazer e de realização de eventos públicos da cidade. No local, a pista que contorna a área verde exige uma redução na velocidade dos veículos. Conforme a descrição feita por um sargento do Corpo de Bombeiros, o motoristas perdeu o controle do automóvel na saída da curva. O carro então subiu em um canteiro, bateu numa árvore, capotou, atingiu um poste de energia elétrica e destruiu o monumento. O veículo bateu ainda em outro poste e só parou ao colidir em uma segunda árvore, perto de um ponto de táxi.

Os bombeiros que estavam de plantão, a 30 metros do local, socorreram as vítimas, mas, conforme relato de um deles, o motorista e um caroneiro já haviam abandonado o automóvel e o local. Dentro do carro, eles localizaram mais uma pessoa, que conseguiu sair sem maiores problemas. Os demais envolvidos foram localizados mais tarde pelos bombeiros em um hospital da cidade.

Ainda segundo informações do sargento dos bombeiros, os três ocupantes sofreram apenas escoriações leves, apesar da gravidade do acidente. O veículo foi recolhido para um depósito de carros acidentados na cidade.

O ex-prefeito de Erechim Aristides Agostinho Zambonatto foi surpreendido pela notícia sobre a destruição do monumento, que ele construiu na sua gestão, entre 1973 e 1977. Segundo Zambonatto, a peça era uma homenagem a todas as mães do município. “Fico entristecido. É um patrimônio público. Não é do ex-prefeito e nem do atual. É de todos erechinenses que o pagaram com seus tributos. Espero que o responsável faça a reparação total. O monumento deve ser entregue como estava antes”, disse.

Fonte original da notícia




RS – Vândalos atacam monumento em São Martinho da Serra

Um ato de vandalismo provocou a quebra de parte do monumento de Santa Tereza de Verzeri, em São Martinho da Serra, na região Central do Estado. A ação ocorreu na madrugada dessa quarta-feira. As freiras que residem próximo à obra explicam que ouviram um barulho de carro e de vidro quebrado. Na parte da manhã, constataram que o vidro do monumento estava quebrado e a imagem, danificada. O vandalismo foi informado à Brigada Militar no município. A Secretaria de Obras iniciou o trabalho de recuperação da peça.

Fonte original da notícia